Meu hino da Copa

Entre os roteiros que escrevi em tempos de Copa, este não foi produzido.

Eu queria perfilar crianças vestidas com a camisa da Seleção, cantando:

– “Basil, meu Basil basilelo,
meu mulato inzonêlo,
vô cantati nos meus véssos…
O Basil, samba qui dá,
bamboleio qui faz gingá,
o Basil do meu amô,
tela di Nosso Sinhô…
Basil! Basil! Pá mim! Pá mim!…

E, no fim, um garotinho diria, após a locução do nome do cliente:

– Ogulho de sê basilelo.

O comercial não saiu mas, todas as vezes que os mascotes entram em campo, eu me lembro.

Como hoje, na abertura da Copa, quando vi o garotinho chutar a bola que o Ronaldo deixou para ele.

Ogulho da Aquarela do Ari.

Compartilhar:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Curta nossa página no Facebook e acompanhe as crônicas mais recentes.

Crônicas Recentes.