No intervalo de uma Copa

Cabe empate, despedida, gol contra. Gente que fez a gente passar vergonha, texto mal compreendido, falta perdida, racismo, resgate na Tailândia.
Cabe gol da Bélgica, feiticeiro da copa, canarinho pistola, bloqueio no facebook. Cabe esquenta com os amigos, festa junina, acréscimos na balança.
Cabe Lula solto e Lula preso, Maradona muito louco, pernas do Cristiano Ronaldo, gritar até ficar rouco.
Cabe crônicas da copa, jogo do Brasil no trabalho, ressaca com vuvuzela, forró no ritmo da seleção, camisa verde amarela.
Cabe derrota na prorrogação, saudade ajeitada no peito, tombo no meio da comemoração, apelar quando não tem mais jeito. Cabe cambalhota no campo, bolada no meio da cara, gol na Alemanha, overdose de Galvão.
Cabe craque voltando pra casa, time pequeno jogando com raça, técnico de cara no chão.
Cabe riso, lágrima, porre, churrasco, folga, carrasco, agonia, cachaça.
Cabe a velocidade do Mbappe, o talento do Lukaku, a vitória da Coreia, o hino de torcida chato.
Cabe a desinformação na fake News do whatsApp, ver Senegal versus Japão, discutir com a arbitragem, chorar pela seleção e renascer como um javali selvagem.

Compartilhar:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Curta nossa página no Facebook e acompanhe as crônicas mais recentes.

Crônicas Recentes.